sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Tour Venezuela - Coro

Por dificuldades de acesso a internet, devido aos horários nas lans houses da Venezuela e também pela infra-estrutura precária em alguns pontos, não foi possível atualizar minhas confabulações sobre o Tour Venezuela. Retomo aqui com as impressões de Coro, a capital do Estado de Fálcon, cujo Centro Histórico é Patrimônio Histórico da Humanidade.

De Mérida, capital do Estado de Mérida, até Coro, a viagem por ônibus é de 12 horas. Nossa viagem, entretanto, foi realizada em 21 horas. A Tormenta Omar, que atingiu o Mar do Caribe, provocou fortes chuvas. Uma das consequências foi a queda de uma ponte na rodovia que da acesso à Coro. Por conta disso, o motorista teve que fazer um novo roteiro. Chegamos sob chuva, em menor intensidade, em Coro. O terminal de passageiros é pequeno e sujo. Depois de confirmar vaga na Pousada Tun Tun ( 58-0268-4044-260, Calle Zamorra #92)no Centro Histórico, seguimos para lá.

Nos dois dias e meio que permanecemos na cidade, a impressão negativa só se confirmou. Além de estar sob efeito dos alagamentos, Coro mostrou que sofre com o problema da falta de educação do seu povo e a desorganização política dos seus administradores: o lixo se acumula pelas ruas da cidade. Só a área do Centro Histórico - que fica entre três ou quatro quarteirões - parece bem cuidada.



Visitamos a praia de Adicora, nosso primeiro contato com o Mar do Caribe, mas não pudemos aproveitá-la: chuva fininho, mas incômodo. Também visitamos a cidade de Punto Fijo, uma zona franca. Para nós, brasileiros, nada que valesse a pena em termos de custos. Para os venezuelanos, que enfrentam uma inflação de 40%, parecia tudo de bom, principalmente nos eletro-eletrônicos. Como Coro, Punto Fijo é suja, com bastante lixo, apesar das placas de " prohibido basura". Nas duas cidades, tal qual o centro antigo de caracas, os taxis são muito velhos, ford landau da década de 50, com som, ar condicionado e câmbio automático. Outra característica são os pequenos ônibus velhíssimos, no estilo marinetes, com um som potentíssimo e bocas de alto-falantes junto ao motorista e no fundo. A música, altíssima. Nem adianta pensar em reclamar.

O que Coro teve de melhor foi a oportunidade de estar em uma pousada que nos possibilitou longas conversas sobre política, sociedade, educação e desenvolvimento na Venezuela, Brasil e América Latina. Apesar de não estarmos com um espanhol muito fluente, conseguimos trocar impressões sobre o Governo Chavez, Governo Lula e outros temas com Angélica (belga, que tinha acabado de vender a pousada), Damien e Norka ( francês e venezuelana de Mérida, que tinham acabado de comprar a pousada) e Juan (colombiano).



A conclusão que tivemos foi que a América Latina só alcançará sua liberdade e seu desenvolvimento se investir na educação. Como em Caracas e em Mérida, percebemos uma aversão a Chavez, considerado "un lóco que guerrea con todos". Crêem que não será dessa forma que a Venezuela terá o respeito que busca do mundo.

sábado, 11 de outubro de 2008

Tour Venezuela - Mérida II

Este é o nosso último dia em Mérida, nos Andes Venezuelano. ( Volto a lembrar que nao consigo achar o til nos teclados daqui) Nestes dias que passamos aqui nao temos como nao comparar determinadas coisas com o nosso Brasil. Primeiro vamos às boas coisas.

Por toda a cidade existem praças com jardins e árvores centenárias , bancos de ferro e madeira, sem ter grade que as cerquem, como acontecem em quase todas as cidades grandes no Brasil. Exemplo da pouca importância que sedá às praças no brasil, Salvador, é a Praça Jornalista Edson Alves, em Piata, que leva mais de um mês para ser limpa e nao tem uma árvore adulta para dar sombra âs pessoas que fazem caminhada ou levam suas crianças para brincar.




O melhor exemplo que tivemos aqui foi o de que, quando há vontade política, as coisas acontem
em benefício do cidadao. O governo do Estado de Mérida, em parceria com o governo federal -leia-se presidente Hugo Chaves, implantou e inaugurou em junho de 2007 a Linea 1 do Trol Mérida. O que isso significa? Um sistema de trolebus ( ônibus elétrico) que, em sua primeira etapa, tem 14 estaçoes espalhadas em 14 km, aproximadamente. Desde a inauguraçao a passagem é gratuita, há previsao de começar a ser cobrada a partir de dezembro deste ano (2008).


Nao sei quanto foi investido, mas creio ter sido bem menos do que já foi gasto para a construçao, infindável, do metrô de Salvador, que teve ao longo destes anos várias denúncias de desvio e verba. O Sistema Trolebus de Mérida nao gastou toneladas de concreto para construçao das horríveis colunas, como em Salvador. Os ônibus circulam em faixas exclusivas centrais, tal qual o sistema viário de uma parte da cidade do Recife -PE e como já existe em algns trechos em Salvador.


Certamente, nao fosse a mania de grandeza dos nossos governantes, teríamos em Salvador um sistema como o Trolebus nao apenas com 14 km, mas muito mais, capaz de beneficiar toda a comunidade do Centro da Cidade até Cajazeiras. Abaixo vocês vêem as fotos. A última é do Terminal.



Agora, nao posso deixar e dizer que Mérida, como umdos principais pontos turìsticos da Venezuela, ainda está engatinhando na administraçao dos serviços de turismo. Como postei ontem, o tleférico está fechado sem nenhum aviso desde agosto, sem data para reabrir. A Plaza del Toros só tem touradas em fevereiro.
E a Helladeria Coromato , sorveteria que está incluída no Guiness por ter a maior quantidade de sabores, também está fechada por todo o mês de outubro para manutençao dos equipamentos. Quando a gente consegue loalizar o endereço - Calle 28 ( a casa laranja) depara-se com um aviso em papel ofício na porta. Muito mal para uma sorveteria turística.



No geral, Mérida é muito bonita e organizada, mesmo com seu trânsito agoniado - pior que Salvador.

Seguimos agora para Coro, que é a única cidade da Venezuela decretada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. De Mérida para lá sao 12 horas de viagem. Até lá.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Tour pela Venezuela - Mérida

Estamos em Mérida desde o dia 8. A cidade completou ontem, 9/10/2008, 450 anos; é a mais velha da Venezuela. Muito bonita. Em um tour por Páramo pudemos ver alguns pontos turísticos da parte venezuelana da Cordilhareira dos Andes, como o Pico Águilla, Estación Del Condor, La Laguna, Iglesia de Piedra, construìda por Juan Sanches só com pedra, sem um pingo de cimento. Fantástico como eles cultivam nas montanhas. Onde nao tem pedra tem plantaçao de batata (pápa), cenoura e alho. Tudo muito bonito. Aqui todos comem pápa o tempo inteiro.




As cidades do interior ñao sao chamadas de cidades. Sao pueblos. Pequenas, de fato. Passamos por algumas e visitamos os parques nacionais de Serra Nevada e de La Lacuna. Em ambas pegamos muito frio, principalmnte no Pico Águilla - 4.118m de altitude e uma temperatura de 2ºC.




Fomos também ao castelo - na verdade, um hotel nos Andes. Deve ser chiquérrimo, mas, com certeza, muy caro.A maior frustraçao está no fato de o Teleférico, maior atraçao de Mérida, que tem cinco estaçoes e alcança cerca de 5.000 m de altitude, estar fechado ( cerrado).



Deu problema em um cabo. Fecharam para inspeçao e, apesar de localizado o problema na quinta estaçao, nao há dinheiro para a troca. A Governación del Estado de Mérida nao divulga oficialmente, mas ñao há previsao de reabertura. Alguns operadores de turismo dizem que pode levar até quatro anos fechado. Nao informar isto é uma grande sacanagem para nós turistas, que somos atraídos, principalmente, por este teleférico. As agências de turismo garantem que o setor sofreu um grande baque com o fechamento do teleférico.


Em relaçao ao nosso anfitriao, o homem está em tempo integral na TV Venezuela. Na quarta-feira, 8/10/2008, participou em programaçao ao vivo do seminário em homenagem ao 47 anos do desaparecimento de Che Guevara. Na ocasiao comemorava também os três anos do programa de Medicina Integrada defendida por Che e aplicada aqui com o apoio de 31 mil médicos voluntários cubanos. Interessante. Ontem, dia 9, a emissora divulgou, ao vivo, ACTO DE CAMPAÑA DO PSUV, ou seja, um comício do candidato de Portuguesa, um estado venezuelano, com mais de 3 horas de duraçao. Inteirinho, com Chaves cantando, inclusive.


A notícia quente de hoje, 10/10, é que o SINEAT, equivalente à nossa receita federal, fechou as 153 lojas da McDonalds no país, por irregularidades nos livros fiscais.


Ficaremos em Mérida até amanha, 11/10/2008. Seguimos para Valência, Chichiriviche, Coro e Parque Nacional Morrocoy. Passaremos, entao, da parte dos Andes para as praias e arquipelágos do Mar do Caribe.








terça-feira, 7 de outubro de 2008

Tour pela Venezuela - Caracas

Buenos, amigos


Notìcias quentinhas do nosso tour pela Venezuela. Chegamos bem em Caracas ontem pela manha ( na maquina daqui nao tem til ). O aviao da TAM é que tem umas poltronas horríveis. Fomos recebidos com honra pelos venezolanos de Hugo Chaves (pois bem).

Caracas faz homenagem ao nosso anfitrao por tudo que é canto. Também tem homenagem ao nosso presidente Lula. A cidade é muito curiosa. Colorida. Tem mais habitantes que Salvador mas parece perdida no tempo (arquitetura, transporte...). O Centro lembra o de Sao Paulo, Recife, Salvador. Mas nada igual às camionetas (ônibus velhos, velhos, pequenos, hiper coloridos, sem cobrador). Como meu amigo Jadson havia dito, a caixa de dinheiro fica sobre o motor, exposto, sem ser roubado. Fantástico. Nas ruas tem policiamento da guarda, mas nao vimos sinais de violência. Vimos, sim, muita ambulância em trabalho.




Roberto está achando o povo interessante, assim como eu. Sao simples e nem todos tem cara de índio como Chaves. Parecem conosco, brasileiros. Mas gritam muito. Em quase todos os lugares. O Centro Històrico está sendo recuperado. Todo o governo fica por aqui.



A comida é que pega. É frango - Pollo - por todo lado. E o povo come, viu? Beber e comer aqui é caro, comparado com o transporte e hospedagem.

Vamos daqui a pouco para Mérida, que fica nos Andes. Sao 12 horas de viagem. De lá enviaremos mais informaçoes.

De lá também mandaremos algumas fotos.

Um abraço a todos.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Dicas sobre reabastecimento de combustível

Todas as formas de otimização - leia-se economia - do nosso suado dinheiro é válida. Recebi esse alerta de Roberto, meu marido. Ele vem colocando em prática e diz que está funcionando. Não sei quem é o autor da mensagem, mas quem repassou garante que ele trabalha numa refinaria há 31 anos. Se tiver alguém que entenda do assunto e queira confabular sobre o tema, por favor, deixe seu comentário. Vamos às dicas

1º Truque
Encher o tanque sempre pela manhã, o mais cedo possível. A temperatura ambiente e do solo é mais baixa. Todos os postos de combustíveis têm seus depósitos debaixo terra. Ao estar mais fria a terra, a densidade da gasolina e do diesel é menor. O contrário se passa durante o dia, que a temperatura do solo sobe, e os combustíveis tendem a expandir-se. Por isto, se você enche o tanque ao meio dia, pela tarde ou ao anoitecer, o litro de combustível não será um litro exatamente. Na indústria petrolífera a gravidade específica e a temperatura de um solo tem um papel muito importante. Onde eu ( o autor) trabalho cada carregamento de combustível nos caminhões é cuidadosamente controlada no que diz respeito à temperatura. Para que, a cada galão vertido no depósito (cisterna) do caminhão seja exato.
2º Truque
Quando for pessoalmente encher o tanque, não aperte a pistola ao máximo (pedir ao frentista no caso de ser servido). Segundo a pressão que se exerça sobre a pistola, a velocidade pode ser lenta, média ou alta. Prefira sempre o modo mais lento e poupará mais dinheiro. Ao encher mais lentamente, cria-se menos vapor, e a maior parte do combustível vertido converte-se num cheio real, eficaz. Todas as mangueiras vertedoras de combustível devolvem o vapor para o depósito. Se encherem o tanque apertando a pistola ao máximo uma percentagem do precioso líquido que entra no tanque do seu veículo se transforma em vapor do combustível, já contabilizado, volta pela mangueira de combustível (surtidor) ao depósito da estação. Isso faz com que, os postos conseguem recuperar parte do combustível vendido, e o usuário acaba pagando como se tivesse recebido a real quantidade contabilizada, menos combustível no tanque pagando mais dinheiro.
3º Truque
Encher o tanque antes que este baixe da metade. Quanto mais combustível tenha no depósito, menos ar há dentro do mesmo. O combustível se evapora mais rapidamente do que você pensa. Os grandes depósitos cisterna das refinarias têm tetos flutuantes no interior, mantendo o ar separado do combustível, com o objetivo de manter a evaporação ao mínimo.
4º Truque
Não encher o tanque quando o posto de combustíveis estiver sendo reabastecido e nem imediatamente depois. Se chegar você ao posto de combustíveis e vê um caminhão tanque que está abastecendo os depósitos subterrâneos do mesmo, ou os acaba de reabastecer, evite, se puder, abastecer no dito posto nesse momento. Ao reabastecer os depósitos, o combustível é jorrado dentro do depósito, isso faz com que o combustível ainda restante nos mesmos seja agitado e os sedimentos assentados ao fundo acabam ficando em suspensão por um tempo. Assim sendo você corre o risco de abastecer seu tanque com combustível sujo.
Vamos tentar .......