domingo, 2 de novembro de 2014

CARTA AOS CÉUS - O que significa finados?

Querida mamãe

Como passou nesses últimos dias? Desejo que bem, apesar de toda a saudade recheada de tristeza  emitida hoje por seus queridos, pela passagem do Dia de Finados. Achamos que você partiu muito cedo. Tá certo. Setenta e sete anos e meio não é tão cedo. Mas é que quando amamos desejamos não nos separar nunca. E você sabe que suas crias, mesmo morando em estados diferentes, sempre foram muito grudadas à senhora, né?

A senhora sabe que a maioria de nós não pode ir à Paulo Afonso, render homenagem no local onde repousa os seus despojos carnais, juntos aos do seu pai, vovô Zezinho, sua mãe, vovó Minice, e sua irmã caçula, tia Nenen. Mas tenho certeza que percebeu nossos pensamentos e nossos sentimentos de cada canto que estamos.

Sabe o que fui fazer hoje depois da minha prece e conversa matinal dirigida a você? Fui cuidar do corpo e da mente. Participei de mais uma corrida e dessa vez - aliás, pela segunda vez - Roberto foi comigo. Que bom né? Mas ainda não coorrrooo. Corro e ando. Corro e ando. Assim fizemos os 6 km. Não sou - ainda - uma corredora, mas pretendo chegar lá. Na madrugada da terça saíremos para mais uma viagem de férias. Dessa vez vamos pra Colômbia e Equador. Eita!!! De lá mandarei notícias.

Mamãe, a senhora sabe que sou curiosa e gosto de pesquisar, né? Outros queridos nossos já regressaram antes de você, mas só com a sua partida é que tive curiosidade de pesquisar sobre o dia de finados.  Encontrei que finados significa "que chegou ao fim", que está morto.  Também li que foi a Igreja Católica que determinou no século XIII que o Dia de Finados deveria ser celebrado no dia 2 de novembro. Como católica, a senhora certamente sabia que a Igreja Católica diz que nesse dia os vivos devem interceder pelas almas que estão no purgatório aguardando a purificação para entrarem no Céu. Mas será que sabia que os protestantes (mais conhecidos ultimamente no Brasil como evangélicos ou cristãos) não acreditam que exista purgatório e que não tem o hábito de orar pelas pessoas que desencarnaram? Eu não sabia. De qualquer forma, como muitas vezes sou do contra, não concordo com nenhum dos dois grupos.

Também não acredito em purgatório. Pelo menos não na concepção da Igreja Católica. E tenho o hábito de orar por aqueles que faleceram. Acredito que faz bem aos espíritos - de vocês que regressaram e nosso, que aqui continuamos.

E aí encontrei na internet um arquivo interessante do O Imortal - Jornal de divulgação espírita, sobre o Dia de Finados. Ali está escrito que vocês que já partiram costumam também ir aos cemitérios nesse dia, sintonizados no pensamento das pessoas queridas - familiares e amigos- que foram ali prestar uma homenagem. Logo que li isso, pensei: "poxa, então minha prece, meu abraço, meu beijo e minha conversa com mamãe hoje não foi sentida porque eu não estava no cemitério?". Continuei a ler e vi que o que santifica o ato de lembrar é a prece ditada pelo coração, não importa onde eu estiver. Ufa! Que alívio! Então você recebeu a lembrança de todos nós, mesmo os que não puderam ou não quiseram visitar seu túmulo. Recebeu as flores reais e as flores mentalizadas.

Na verdade, mamãe, não gosto muito do termo "finados". Não considero que a senhora e todas as pessoas que amo que já regressaram tenham "chegado ao fim". Acho, sim, que esta reencarnação chegou ao fim pra vocês, mas que todos estão vivos, porque a vida prossegue. É eterna. Tenho certeza que a senhora já sabe disso e sente a fluir no seu corpo. Aliás, no seu perispírito, porque o corpo que lhe foi emprestado já foi devolvido.

Receba minha saudade com meu abraço de caranguejo e meu beijinho em seus olhos.

Sua filha tagarela.

Vanda.




Um comentário: