segunda-feira, 26 de outubro de 2009

TOUR NA BOLÍVIA e Peru: Noites num deserto de sal

Como disse na postagem anterior, a nossa viagem de férias deste ano - 2009 - é de desafios. O primeiro foi enfrentar um deserto de SAL na Bolívia - O Salar de Uyuni, num extensao de pelo menos 12 mil km2. A aventura foi de duas noites e três dias, começando de Uyuni. Comemos muita poeira e ficmos impressionados como tanta gente vive isolada.

Em Colchani tem um hotel de sal que, atualmente, só abriga ciclistas que tem a coragem de pedalar no deserto. Mais à frente tem o primeiro hotel de sal. Isso mesmo, as paredes, a estrutura da cama, as mesas... tudo de sal. Hoje este é só um museu. Ele foi construído mas ou menos em 1990.

A segunda parada foi em Isla Pescado, ou Isla Incahuani - um monte alto, rochoso, no meio do deserto de sal, com cactos imensos. Incrível o desenho que o vento fez no sal condensado. Esta ilha está localizada na Província Daniel Campos, no Departamento de Potosí, recebe o nome de Thunuda Salt Flat e está a 3.600 msm. O cacto mais velho alcançou 12 metros e viveu mais de 1.200 anos.

No final da tarde fomos a San Juan, onde ficamos em um hotel de Sal. Dividimos - eu e Roberto - o quarto com a espanhola Patrízia ( muito simpática). Nao dormi bem. Além do frio, a sensaçao de estar tocando o tempo todo em parede de sal nao foi confortável.

Na segunda noite dormimos em uma hospedagem normal (Guadalajara), onde nao tinha como tomar banho. No terceiro dia acordamos às 4 da manha para irmos ver os geigers ( se estiver errado epois corrijo). Enfrentamos 10 graus abaixo de zero. Mais foi fantástico.

Depois falarei das lagoas do deserto. Vê-las nao foi desafio. Foi prazer.

Mando um beijo para Vânia e Nana - aniversariantes. Um dobrado para Nana, futura mamae.
O teclado nao tem o til.
Abaixo, fotos dos Geigers.e da Isla Pescado, no Salar do Uyuni.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

TOUR BOLÍVIA- Enfrentando a altitude

Estamos, Roberto e eu, estamos há 19 dias fora do Brasil, em férias de desafios. O principal, vencer a altitude da Bolívia e Peru. Fiquei de postar nossa aventura como mochileiros coroas, mas ñ foi possível até o momento. Ou ñ tivemos tempo, ou ñ tinha internet onde estávamos. Enfrentar desafio da altitude, principalmente para mim, que faço exercício em uma semana e na outra ñ faço, tem sido impressionante. Tenho certeza de que, se ñ fosse Roberto a me incentivar até o último instante, eu ñ teria visto coisas tao (o teclado ñ tem til) lindas. E até me fez ficar tolerante com a Seleçao Brasileira, que perdeu de 2 a 1 para a Bolívia. Nós estavamos lá, no Estádio em La Paz, assistindo a partida e sentindo na pele que aqueles que jogaram os 90 minutos, a exemplo e Daniel e Nilmar, foram vitoriosos. Respirar em alta altitude é difícil; imagina correr atrás de uma bola. Qualquer movimento cansa. E os bolivianos fazem isso desde criancinhas. Quero vê-los aguantar correr sob um sol de quase 40 graus no Nordeste.
Nosso tour pela Bolívia terminou há dois dias. Os relatos por cada desafio farei posteriormente, porque o CD com as fotos estao na mochila e ñ quero desarrumar tudo agora.
Neste momento, sexta-feira, 16/10/09, estamos em Puno, Peru, fronteira com a Bolívia. Logo mais, às 21 horas, seguiremos para Cuzco e, depois, para Machu Picchu. Está chovendo e estamos dando um tempo no Hospedaje Yuriana (perto da Plaza das Armas), onde ficamos hospedados. Muito legal, por sinal.
Para que os nossos (todos) vejam que estamos bem, posto foto que fizemos no passeio de hoje pela Isla Orus (flutuante). Os detalles postarei depois. Um abraço a todos vocês.


Isla Orus (Puno - Peru) - Isla Puma Uta ( flutuante) - 3.850 msm - barco de Totora (junco)