quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Tour Venezuela - Chichiriviche


No Estado de Fálcon, fomos conhecer Chichiriviche, capital do município de Monseñor Iturriza, uma pequena cidade de pescadores que fica ao redor do Parque Nacional Morrocoy, tem cerca de 32 mil hectares e 12 pequenas ilhas (cayo). De Coro, no mesmo Estado, até lá tivemos dois tipos de transporte. No terminal pegamos um ônibus pequeno e antigo, velho (buseta), cujo dono é o próprio motorista. Faz parte da cultura dos venezuelanos - creio que em todo o mundo - impor sua característica no que é seu. Com isso, os ônibus são enfeitados ao gosto do dono. Sobre o motor, coberturas alcochoadas e forradas com veludo, para dar conforto ao passageiro que não encontra mais poltrona disponível.

Como sentamos no último banco, ouvimos com maior impacto o alto som com música caribenha. Tinha saídas de som na traseira e na dianteira. Todo o percurso é feito sempre com muita música. Exceto se você estiver de mal humor, a viagem é divertida. O percurso é o mesmo com destino a Valência, capital e a maior cidade do Estado de Carabobo. Como descemos no meio do caminho, em Sanare, Estado de Lara, a viagem durou cerca de 1h30. Ali pegamos outra buseta e chegamos a um entrocamento, onde pegamos um táxi por puesto (lotação), um Ford Landau antigo e velho, porém confortável, onde a lotação é de cinco pessoas. Nele a música também estava presente. Ficamos na pousada Villa Gregória ( Calle Mariño, diagonal a Bancoro, tel. 0259-8186359, dos espanhóis Aurélio (pai e filho).

Em Chichiriviche confirmamos o que vimos nas outras localidades por onde passamos na Venezuela. Não há barzinhos, botecos. Encontramos restaurantes ou licorias, onde você pode comprar qualquer tipo de bebida, mas tem que consumir em outro lugar; na calçada, na praça, em cadeiras diante da sua casa ou da sua loja... Como o lixo só é recolhido pela administração municipal uma vez por semana, contudo, é comum encontrar garrafinhas de cerveja estilo long neck (Polar) pelas esquinas.



Com seus quase 18 mil habitantes, a cidade é promissora. Tem um grande potencial turístico, mas há a necessidade premente de investimentos do governo na profissionalização do turismo. Na parte da orla onde se concentram os barcos dos pescadores a prefeitura está urbanizando. Quem tem interesse por conhecer locais rústicos, com o seu povo em sua espontaneidade, deve ir dentro dos próximos 10 anos. A impressão que tive é que, depois disso, acontecerá com Chichiriviche o que ocorreu com Porto de Galinhas, em Pernambuco: foi descoberta, curtida, invadida por estrangeiros com faro para bons investimentos, urbanizada e profissionalizada. Encareceu. Os chineses já descobriram a cidade. São eles os donos da maioria dos mercadinhos - sujos, com frutas de péssima qualidade e desorganizados. Frutas frescas só na segunda-feira, em uma feira livre.